sábado, 31 de outubro de 2015


'Ele está feliz lá', diz irmã de homem que vive em buraco há 25 anos . A família acredita que é 'impossível' tirá-lo local: 'A força eu não vou trazer'. Situação de homem, de 57 anos, motivou visita de juiz, em Nova Roma, GO.


Raimunda Tereza Calado é irmã de Antônio Calado, que vive dentro de um buraco há 25 anos, em Goiás (Foto: Aline Caetano/TJ-GO)Antônio com a irmã: segundo ela, nenhum dos dois gosta muito de foto (Foto: Aline Caetano/TJ-GO)
Por inúmeras vezes, a dona de casa Raimunda Tereza Calado, de 37 anos, tentou tirar o irmão, Antônio Francisco Calado, de 57, do buraco onde ele vive desde 1990, em uma pequena propriedade rural de Nova Roma, no norte de Goiás. Mas todas elas foram em vão. A conclusão a que a mulher chegou é que é "impossível" fazê-lo sair e que é mais fácil tentar criar uma infraestrutura no local para que o homem viva melhor.
"Ele está feliz lá, daquele jeito. Sinto que se fizer isso, é capaz até dele morrer em pouco tempo e eu respeito isso. A força, eu não vou trazer ele. Cada um tem que viver como quer. O que eu desejo é dar uma condição melhor de água, alimentação e moradia", disse ao G1.
A situação de Antônio motivou uma visita do juiz Everton Pereira Santos, na última terça-feira (27). O magistrado foi ao local e pesou a situação ao julgar procedentes dois pedidos de pensão pela morte dos pais e de interdição judicial, feitos pela irmã.
Também ajudou na decisão um laudo pericial apontado que Antônio tem esquizofrenia paranoide, doença mental que o fez considerar incapaz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário