terça-feira, 27 de outubro de 2015

* Ilha Grande do Piauí,  cidade atrasada e longe do progresso

 Ilha Grande fica em 4.783º no ranking nacional de oportunidades para os jovens.

As melhores condições de ensino para crianças e adolescentes não estão nas grandes cidades, revela o Índice de Oportunidades da Educação Brasileira (Ioeb), recentemente lançado pelo Centro de Liderança Pública. O índice avalia quanto cada cidade contribui para o sucesso educacional dos jovens. 


No ranking Ilha Grande está na com nota 3,3 e ocupa a 4.783º colocação. Cocal dos Alves é o melhor município do estado do Piauí com nota de 5,1, em uma escala de 0 a 10. Ficando acima da média nacional (4,5) e acima da média do estado do Piauí (3,9). Dos municípios, Monte Alegre está entre os 10 piores em âmbito nacional, e o pior do Piauí, ocupando a 5.238º posição no ranking nacional. A capital Teresina, ocupa o 3.132º lugar entre as cidades.

Ao contrário do que muitos imaginam, as melhores notas foram para municípios bem pequenos e os quatro primeiros estão no Ceará. São Paulo, que é a capital mais bem colocada no ranking, obteve o nada honroso 1.387.º lugar, entre 5.245 municípios avaliados.

O Ioeb é calculado a partir de dois tipos de fatores: os resultados educacionais – cujos dados são oriundos do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), criado em 2007 e hoje o principal indicador da educação brasileira – e os chamados “insumos educacionais”, fatores considerados determinantes para uma educação de qualidade. No cálculo do Ioeb entram a escolaridade dos professores, o número médio de horas aula/dia, a experiência dos diretores e a taxa de atendimento (quantas crianças e adolescentes estão na escola e quantas estão fora).

Ainda que seja um novo modo de avaliar a educação brasileira, o Ioeb confirma uma realidade bem conhecida – ainda há muito que melhorar na qualidade educativa ofertada no País.

Nenhum comentário:

Postar um comentário