quarta-feira, 4 de novembro de 2015

São Bernardo e a cultura dos quebra molas

* Matéria enviada por um Heitor Garcia, seguidor do blog

Estudante de direito Heytor Garcia

No intuito de solucionar o problema decorrente do excesso de velocidade em São Bernardo, surgiu uma proposta simples,  a alternativa de construir lombadas, visto o baixo custo que exige para sua manutenção e sua grande eficácia, entretanto diante de tal facilidade observou-se um excesso em relação à construção dos mesmos que por sua vez, acabaram virando algo muito comum em todo canto de nossa cidade. De fato nossa cidade está apinhada de quebra molas, que por sua vez não obedecem ao padrão estabelecido pelo CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO – CONTRAN. Diante disso as autoridades podem empregar outros métodos de solução para este problema, sem que provoquem avarias em veículos e graves acidentes de transito.
Dito o parágrafo único do art. 94 do CTB: É proibido a utilização das ondulações transversais e de sonorizadores como redutores de velocidade, salvo em casos especiais definidos pelo órgão ou entidade competente, nos padrões e critérios estabelecidos pelo CONTRAN. Este não é o único artigo infringido pelas “lombadas bernardenses”, o art. 334 diz que as lombadas devem ser homologadas dentro do prazo de um ano, caso contrário, devem ser retiradas. Aliado a isso está à falta de sinalização adequada, deixando-os praticamente camuflados gerando problemas não somente ao veículo, como em casos mais graves ao condutor, que ao dar conta do obstáculo não tem muito tempo para uma ação eficaz.  
Não é de hoje que em São Bernardo é noticia alguém se acidentar nesses quebra molas, nem é surpresa reclamarem das avarias causadas em seus veículos, decorrente do excesso de altura empregado na construção dos mesmos. O fato é, por que os quebra molas de São Bernardo não obedecem ao padrão estabelecido e quantos mais vão precisar se acidentar ou ser pego de surpresa por uma lombada irregular, até que se tome uma providencia?
Por lei, as lombadas (que mais parecem uma travanca) já deveriam ter sido retiradas por inúmeros fatores, mas o essencial é que passado um ano elas não obtiveram sucesso em regredir a calamidade ocorrente em nossa cidade, acabam se tornando um empecilho no dia a dia e ainda coloca a vida de pessoas em risco. Existem inúmeros métodos de resolução para este problema, para tornar São Bernardo uma cidade trafegável e segura, sem precisar retirar todas as lombadas, apenas selecionando os que mais seriam importantes, sinalizando-os e deixando-os segundo padrão do CONTRAN. Um bom exemplo também seria investir na capacitação dos guardas municipais, o que é de suma importância e investir em campanhas a fim de conscientizar motoqueiros e motoristas a conduzir com prudência no trânsito. Isso sem falar nos redutores de velocidade (tartarugas) em pontos estratégicos da cidade, onde há demasiado fluxo de pedestres e veículos, facilitando tanto na locomoção de pedestres como diminuindo os desgastes causados nos veículos, por fim auxiliando a mobilidade urbana.

Heytor Garcia e Coutto Jorge



* Quebra mola feito de asfalto, sem a devida sinalização,  que recentemente deixou mais um jovem na UTI

Você observa claramente que não existe nenhuma sinalização para avisar o mal feito quebra mola, assim é de lascar o cano !!!!


* Queremos deixar claro, que não somos contra a instalação de quebra - molas, mas que os mesmo sejam bem feitos e bem sinalizados, para evitar os vários acidentes que estão provocando há muito tempo.

* Quase não dá para notar esse quebra mola na foto acima, para quem vem viajando e não conhece essa Rodovia, se lasca por cima e causa acidentes. Esse quebra - mola localiza-se no bairro Abreu, próximo a um posto de gasolina. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário