quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016


Assembleia monta Comitê para estudar a matança de adolescentes no Ceará e apontar soluções

A Assembleia Legislativa do Estado do Ceará instalou, nesta terça-feira (23), o Comitê Cearense de Enfrentamento Pela Prevenção de Homicídios na Adolescência. O objetivo deste grupo é, após um estudo aprofundado do tema, ofertar ao Governo Estadual e às prefeituras sugestões de medidas para frear a matança de garotos com idades entre 10 e 19 anos.
Somente entre 2014 e 2015, nada menos que 1.701 adolescentes  foram assassinados no Ceará. Fortaleza tornou-se a Capital brasileira em primeiro lugar no ranking daquelas que apresentam maiores índices de mortes de pessoas na faixa etária entre 12 e 18 anos incompletos. A maioria, foi executada por ordem do tráfico, segundo apontam as autoridades da Segurança Pública.

adolescente assassinado 2
Além de Fortaleza, outras sete cidades cearenses apareceram com situação preocupante  em relação aos assassinatos de adolescentes. São elas: Caucaia, Crato, Itapipoca, Juazeiro do Norte,  Maracanaú, Maranguape e Sobral.
adolescente assassinado 1
Conflitos entre gangues rivais, dívidas com traficantes, conflitos em família, brigas entre torcidas organizadas, envolvimento em assaltos e confrontos com a Polícia são as principais causas de mortes de tantos adolescentes na Capital e nos demais Municípios cearenses.
adolescente assassinado 4
Saídas
O comitê montado pela Assembleia Legislativa vai realizar um estudo de centenas de casos de adolescentes mortos ou que praticaram assassinatos no Ceará nos últimos dois anos. Em seguida, vai montar uma avaliação completa desta situação, buscar soluções e apresentá-las em um minucioso relatório a ser entregue, inicialmente, ao Governo do Estado e Prefeituras. Em seguida, essa distribuição será feita a organismos oficiais e entidades  não-governamentais, Imprensa, e instituições de ensino.
adolescente assassinado 5
O deputado estadual Ivo Gomes, ex-secretário de Educação do Ceará, será o presidente do Comitê e terá ao seu lado o deputado Renato Roseno (PSol) como relator.



Nenhum comentário:

Postar um comentário