quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016



Dilma Rousseff
É o segunda corte em cinco meses

Não há nada que seja tão ruim que não possa piorar.  Exemplo: a economia brasileira.
Pela segunda vez em cinco meses, a agência de risco Standard & Poor’s cortou a nota de risco do Brasil, pressionando o dólar e enfraquecendo a Bovespa no final da tarde desta quarta.
Em setembro, a S&P já havia cortado a nota do Brasil para ‘junk’ (‘lixo’) e mantido a perspectiva para o risco brasileiro como ‘negativa’.
O segundo corte veio hoje, com a agência dizendo: “Os desafios políticos e econômicos que o Brasil enfrenta continuam consideráveis, e nós agora esperamos um processo de ajuste mais prolongado — uma correção mais devagar na política fiscal e também mais um ano de contração econômica

São Paulo - O procurador-geral de Justiça de São Paulo, Márcio Elias Rosa, participa do lançamento da campanha “Conte até 10. Paz. Essa é a atitude” no estado 27/05/2013



O procurador-geral de Justiça de São Paulo, Márcio Elias Rosa
O Procurador-Geral de Justiça de São Paulo, Márcio Elias Rosa, saiu em defesa dos promotores que conduzem o inquérito aberto para investigar a posse do um tríplex no Guarujá que, conforme revelou VEJA, foi reformado pela empreiteira OAS e pertence ao ex-presidente Lula. O petista e sua mulher, Marisa Letícia, deporiam hoje no Fórum Criminal da Barra Funda, em São Paulo, a respeito do imóvel. Segundo publicou ontem à noite a coluna Radar, no entanto, uma liminar do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) concedida pelo conselheiro Válter Araújo paralisou a investigação e suspendeu as oitivas do petista e da ex-primeira-dama.
Em nota divulgada na manhã desta quarta-feira, Elias Rosa escreveu que “confia nos acertos da atuação de seus membros, que contam com o irrestrito apoio” da Procuradoria-Geral de Justiça para defender suas prerrogativas e atribuições.
O promotor de justiça Cássio Conserino
O promotor de justiça Cássio Conserino

O promotor Cásio Conserino afirmou nesta quarta-feira que o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) foi ‘induzido ao erro’ na decisão que adiou o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de sua mulher, Marisa Letícia, no inquérito aberto pelo Ministério Público de São Paulo sobre a propriedade do tríplex no Guarujá, no litoral paulista. Conforme revelou a coluna Radar na noite de ontem, uma liminar concedida pelo conselheiro Valter Araújo, do CNMP, paralisou a investigação. Segundo Conserino, a decisão “prejudica o trâmite da investigação criminal”.
Segundo Conserino, o CNMP foi “certamente induzido ao erro” pelo deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP), autor da ação. No pedido, o petista argumenta que Conserino não é “promotor natural” do inquérito. O promotor disse também que vai recorrer da decisão para, segundo as suas palavras, “cumprir o objetivo de apurar os graves fatos envolvendo pessoas que se consideram acima e à margem da lei, algo que não pode ser subtraído da honesta sociedade civil brasileira”.

O futebol argentino escreveu uma página triste da sua história nesta semana. O árbitro César Flores, de 48 anos de idade, foi baleado três vezes por um jogador depois expulsá-lo de campo.
O incidente aconteceu na cidade de Córdoba, durante partida de um torneio amador. O atleta que levou o cartão vermelho e depois assassinou o juiz não teve o nome revelado e fugiu do local – sabe-se apenas que ele estava com o revólver na mochila, no banco de reservas.
César Flores foi atingido com um disparo no cabeça, outro no pescoço e um último no peito, segundo a polícia. Um outro atleta, Walter Zárate, também foi atingido por uma bala e foi levado ao hospital, mas não corre risco de morrer.
Segundo informou a polícia local, o rapaz que matou o árbitro continua foragido. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário