Protesto contra o governo Dilma e a corrupção na Petrobras, ocupa a avenida Paulista - 15/03/2015
Protesto contra o governo Dilma, em 15 de março de 2015, reuniu mais de 1 milhão de pessoas na Avenida Paulista(Bruno Santos/VEJA.com)

Ao final de uma semana especialmente ruim para o PT, o engajamento dos brasileiros no protesto convocado para o dia 13 de março aumentou significativamente. Entre quinta e sexta-feira, os compartilhamentos e ‘curtidas’ na página do Movimento Brasil Livre (MBL) no Facebook foram multiplicados por 15, segundo o líder do MBL Kim Kataguiri. Ao site de VEJA, as lideranças do MBL e do Vem Pra Rua informam que esperam desta vez um número de manifestantes ainda maior do que o de 15 de março do ano passado, quando a presidente Dilma Rousseff enfrentou o maior protesto popular desde as Diretas.
Nesta manhã, a Operação Lava Jato levou o ex-presidente Lula para depor à força em São Paulo – apenas um dia depois de vir à tona que o ex-líder do governo Dilma no Senado, Delcídio do Amaral, ter fechado acordo de delação premiada. A operação desta sexta, contudo, nada tem a ver com os depoimentos de Delcídio, que implicam Lula e Dilma. “Como, antes, não havia resultado, não havia perspectiva de mudanças para o futuro, ficava difícil mobilizar as pessoas para protestarem. Mas com os últimos acontecimentos é muito mais fácil. São bem grandes as chances de que esse protesto seja maior do que o 15 de março”, analisou Kataguiri.