domingo, 10 de julho de 2016


Anderson Silva perde como herói no UFC 200 e é ovacionado

Anderson Silva dando porrada em Cormier
Anderson Silva dando porrada em Cormier
Considerado como o maior lutador da história do UFC, o peso-médio Anderson Silva entrou no octógono dourado do UFC 200 acompanhado de seus filhos para enfrentar o que, na opinião de muitos, seria o maior desafio de sua carreira, enfrentando uma luta com apenas dois dias de antecedência contra o franco favorito, muito mais pesado e campeão da categoria de cima Daniel Cormier.
No primeiro assalto, o que a maioria imaginava ocorreu. Anderson completamente fora de forma aceitando a luta nas tais condições contra um cara completamente preparado e muito mais pesado foi derrubado e ‘amassado’ no ground and pound, onde recebendo socos e cotoveladas trabalhando muito bem seu jiu-jitsu de forma defensiva, acabou quebrando seu nariz.
Adiante, no segundo round as coisas mantiveram a mesma linha, mas Anderson chegou a receber duros socos do pesado oponente, e ao arriscar joelhadas na curta distância acabou derrubado e aparentando total despreparo físico com o semblante de cansaço.
Cormier em cima de Anderson Silva
Cormier em cima de Anderson Silva
No último round, com Anderson Silva travando Daniel Cormier e o impossibilitando de trabalhar o ground and pound, o árbitro central colocou a luta em pé o Cormier aceitou a trocação, onde quase se arrependeu ao receber um chute muito forte no estômago, onde não segurou o grito de dor.
Anderson viu o bom momento, foi para cima, Cormier o travou com sua força superior na grade e o gongo soou encerrando o duelo entre “Davi e Golias”. O óbvio aconteceu, e Cormier ganhou na decisão dos três árbitros por 30 a 27.
“Acho que ele fez um trabalho muito bom travando a minha perna e não me deixando ficar na posição que eu queria. Ele é um dos melhores caras da história do UFC.”, disse DC ainda no octógono.
Anderson foi ovacionado pelo público e carregado nas costas de seu staff sendo aplaudido pela coragem e dedicação mesmo sem treinar e contra um adversário fisicamente muito superior. Ele foi grato aos presentes e explicou os detalhes de sua aceitação no duelo.
“Para mim foi um grade desafio pessoal aceitar essa luta. Porque eu consegui colocar em prática o que eu desenvolvi em todos esses anos. Eu estou há muito tempo sem treinar, desde minha cirurgia eu não treinei absolutamente nada .Que isso sirva de exemplo a todos os brasileiros e os que estão aqui hoje. Vocês podem fazer tudo desde que seja com o coração.”
“Estou acostumado a treinar com caras muito pesados, meu mestre Minotauro, Rogério Minotouro, Rafael Feijão, o próximo campeão Ronaldo Jacaré. Eu senti pois estou sem treinar nada. Meu cardio não está bom. Dedico a minha equipe a todas as minhas vitórias. Vim aqui para enfrentar o Daniel, campeão, e não o desrespeitar.”
Boatos indicam uma revanche de Anderson Silva contra Michael Bisping valendo o cinturão dos médios.


Nenhum comentário:

Postar um comentário