quarta-feira, 27 de julho de 2016

Químico brasileiro produz gasolina mais potente sem uso de petróleo por R$ 1,50 o litro. Veja o vídeo

Atualmente, o Brasil produz cerca de 42 milhões de barris de gasolina A (pura), porém, antes de chegar ao consumidor final, é acrescido etanol anidro, transformando assim a gasolina A em gasolina C. Mesmo a gasolina vendida nos postos de combustíveis não sendo pura, o valor da mesma é elevado, chegando a R$5,00 em algumas cidades.
Pensando em economizar, Gilmar, um químico brasileiro, começou a produzir ilegalmente combustível em sua casa. Ao ser preso, Gilmar alegou que o produto encontrado em seu galpão era, na verdade, um produto usado para limpeza e não combustível, assim como alegavam os policiais.
A gasolina produzida pelo químico era livre de petróleo, sua fórmula continha uma mistura de metanol e solventes. As dosagens e forma de processamento ainda são desconhecidas. O que se sabe é que ela funcionava e que Gilmar produzia cerca de 10 mil litros por mês.
Segundo o engenheiro químico e chefe da Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam), Renato Zucchetti, a gasolina era de alta eficiência, em baixa e em alta rotação.
“É impressionante. Chega com o tanque vazio, coloca aquela gasolina e sai andando normalmente. Estávamos diante de um ‘professor pardal’, que conseguiu criar uma fórmula sem o petróleo como matéria-prima”, afirmou Tarcísio Kaltbach, delegado da 1ª DP de Nvo Hamburgo, Porto Alegre.
Foi informado que Gilmar vendia seu combustível a R$1,50 litro. Mesmo sendo muito eficiente, o uso de tal poderia causar danos mecânicos aos automóveis que o utilizavam.
O químico de 57 anos foi preso na operação Octanagem, do Ministério Público de Porto Alegre e da do 1º Departamento de Polícia de Nono Hamburgo. O suspeito foi preso em flagrante por produção e venda de combustível sem autorização da Agencia Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustível (ANP).
A produção de combustíveis alternativos sempre esteve em discussão, há muita pesquisa em torno do assunto, por isso, muita gente, inclusive os compradores do combustível que Gilmar produzia, ficaram indignados com a prisão do mesmo.
Talvez se os pesquisadores pegassem a fórmula que Gilmar criou e aprimorassem teríamos mais uma opção de combustível.
Não concordamos com a venda de produtos ilegais, mas acreditamos que uma descoberta dessa não deveria ser ignorada.
Vocês usariam um combustível proveniente de uma produção ilegal?

Via br.blastingnews



Nenhum comentário:

Postar um comentário