domingo, 26 de novembro de 2017

Morre Jon Hendricks, o ‘James Joyce do jazz’, aos 96 anos

Morreu aos 96 anos, nesta quarta-feira (22), em Nova York, o cantor e compositor Jon Hendricks, artista de jazz cujas interpretações de estilo improvisado e criação de letras para canções instrumentais, o famoso “vocalese”, lhe renderam o apelido de “o James Joyce do jazz”. A causa da morte não foi revelada, mas a comoção no meio artístico é grande. Grandes nomes como o trompetista Wynton Marsalis e o compositor Lin-Manuel Miranda expressaram seu pesar nas redes sociais para o músico que a revista “Downbeat” chamou de “um dos mais importantes vocalistas na história do jazz”. Conhecido nos anos 1950 e 1960 pelo seu papel no trio vocal popular Hendricks, Lambert & Ross, ele era considerado um mestre na arte do improviso, incluindo palavras sem sentido – “Skap-a-dap-a-doodily-bap” – para canções complexas a intrincadas.
Em 1961, Hendricks lançou o disco “¡Salud! João Gilberto, Originator of the Bossa Nova”, uma homenagem ao artista baiano, em que interpreta 13 versões de clássicos do gênero como “You and I (Você e Eu)”, “No More Blues (Chega de Saudade)” e outras.
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário